Leitura para crianças!

Nós sempre vemos essas cenas em filme e ficamos apaixonados né, a verdade é que não tem idade certa para ler para uma criança isso vai da escolha e preferência do pai, tem pais que começam a ler logo que o bebê nasce já tem outros pais que começam a ler quando a criança entra em idade escolar, essa escolha vai da preferência de cada família.
O que é preciso saber é que precisa incentivar a leitura desde cedo é um ótimo estimulo para que essas crianças comecem a gostar dos livros, das histórias, além de ajudar a desenvolver a criatividade e imaginação dos pequenos.
Eu sempre amei leitura, então quando soube que estava grávida já sonhava com esse grande momento de ler para a minha pequena. Comecei a ler para a Laura quando ela tinha 06 meses, porém ela não prestava tanta atenção e adorava tentar pegar os livros da minha mão.
Deixei de lado por um tempo, mas quando ela estava com 1 ano e 6 meses mais ou menos voltei a tentar a incentivá-la com vários livros tanto os de princesa como os de aventura também, até que ela gostou do livro Chapeuzinho Vermelho. Sempre fui daquelas pessoas que quando Lê livros para crianças faz caras e bocas, imita os sons e até faz gestos.
Então quando lia para ela você pode até imaginar as cenas né (hahaha), mas o que eu mais adorava era a expressão de felicidade dela, os sorrisos, isso me dava mais e mais prazer para continuar a ler para ela. Até que chegou um dia em que ela mesma vinha com o livro na mão, se aninhava no meu colo, quase morro de amor!
Eu não estipulo um dia ou um horário para lermos, sempre deixo a vista e a Laura escolhe qual quer e quando. Acredito que assim fica mais gostoso para nós duas!

São coisas simples como ler que torna o dia mais agradável e divertido!

E você tem esse costume de ler para seu filho? Nós conte sua experiência.

Beijoos  Dani!

 

Educar a parte mais difícil de ser mãe

Agora que minha filha já está mais crescidinha com quase 3 anos, descobri que meu maior desafio em ser mãe é ensina-lá a viver nesse nosso mundo. Ensinar que existem regras e que é necessário segui-las, ensinar que o mundo é um lugar que as pessoas vivem interligadas e que nenhuma consegue viver sozinha, que ter dinheiro é ótimo, mas é melhor quando você pode ajudar outras pessoas também.
Mas como? Como saber se estou ensinando tudo na medida certa? Como saber se vou me orgulhar do resultado desse trabalho que estou fazendo agora?
A gente sempre escuta que o exemplo é a melhor forma de educar, mas nem sempre estamos dispostos a isso, né? Muitas vezes dá preguiça, e também aquela vontade de deixar pra lá!
Só que não podemos deixar pra lá, eles estão nos observando em tudo o que fazemos tudo que falamos à maneira que agimos, o tom de voz que usamos. Nossos filhos sempre nos observam em situações rotineiras ou em alguma situação inesperada para eles verem e aprenderem ali qual deve ser sua reação, quando isso acontecer com eles.
Eles nós vêm realmente como “Exemplos” e nos carregam nesse cargo por vários anos, por esse motivo nós precisamos prestar mais atenção com o que estamos passando a eles? Como eles estão nos vendo?
Será que estão vendo pais que comem todos os legumes e verduras do prato sem reclamar? Pais que falam ao invés de usar um tom mais alto quando estão estressados/bravos?
Às vezes exigimos deles o que nem nós mesmos fazemos. Educar é sim a parte mais difícil e cansativa, por que educar faz com que a gente se reeduque. Faz com que  olhemos para os nossos comportamentos para entendermos o comportamento deles. Exige que a gente mude primeiro.
Mas ter filhos e isso mesmo, descobrir que o “nosso” mundo, é pouco para eles. É preciso que a gente se reinvente que a gente encontre nossa melhor versão, para então termos a certeza de que eles encontrarão a deles um dia.

Beijooooos;    Dani