Brincadeiras que ajudam no desenvolvimento infantil.

Quem é que não se lembra da infância, principalmente no fato dela ter sido a parte mais divertida que passamos pelo simples fato das brincadeiras e travessuras que fazíamos. Hoje nessa época da Tecnologia muitas crianças não sabem brincar de cobra-cega, gato mia, soltar pião, brincadeiras que pra nós é familiar para muitas das crianças de hoje em dia não é. Poucas das crianças saem brincar na rua, muitas ficam o dia todo em casa na frente do computador, TV, celular, claro que nós pais temos medo pois a violência aumentou muito da nossa época até agora mas também tem o lado de que as brincadeiras ao ar livre e com outras crianças ajudam muito no desenvolvimento dos nossos filho  “Quando brinca, a criança aprende a treinar sua agilidade, força e equilíbrio, além de aguçar ainda mais seus reflexos. Mas cada idade exige um exercício específico, o que não exclui a prática de outros. O ideal é despertar estas aptidões até os sete anos de idade quando a criança começa a aprimorar os movimentos que aprendeu até então”, explica o fisiologista da Unifesp Renato Romani.
Abaixo vou listar uma lista com 5 brincadeiras que auxiliam muito no desenvolvimento da criança;

ciranda

  • Ciranda, além da noção de espaço e o equilíbrio, a ciranda revive as cantigas lúdicas que têm papel importante na formação da garotada na medida em que despertam a imaginação e ajudam na desenvoltura na hora de falar com outras pessoas. “Na ciranda, as crianças cantam, dançam e interagem entre si estreitando laços, o que faz com que fiquem mais extrovertidas além do domínio do equilíbrio e da linguagem, já que fazem todas estas atividades simultaneamente”, explica Cida Lessa.

    cabra cega

  • Cabra-cega, Este é um exercício bastante complexo porque exige da criança equilíbrio, noção de espaço e estimula todos os sentidos. “Para compensar a ausência da visão, a criança aguça a audição, olfato e percepção, daí a eficiência cognitiva e motora da brincadeira”, explica Renato Romani. “Ao privar as crianças da visão, a cabra-cega desperta a imaginação para monstros e fadas que podem aparecer a qualquer momento sem que a criança possa ver, já que está com os olhos vendados. É uma viagem que proporciona adrenalina e medo, mas que faz com que a molecada sinta o prazer das descobertas e a possibilidade da incerteza”, explica Cida.

    esconderG

  • Esconde-esconde, “A criança é estimulada a correr, disputar espaço e superar seus limites. É um excelente exercício de resistência física e integração ao grupo”, afirma Cida. “Qual criança não gosta de competição? As atividades, quando competitivas por vontade da criança e não por imposição dos pais, se tornam prazerosas e ensinam as crianças a superarem as perdas. Se a atividade for condicionada pelos pais, ela sai do limite e perde o efeito. O corpo só responde positivamente a estímulos compatíveis com a resistência de cada um. Quando a criança é pressionada a trazer resultados ou a praticar uma atividade que não gosta, descarrega em seu corpo um estresse maior do que consegue suportar e a brincadeira perde a graça” explica Romani

videogame

  • Videogame, O jogo desenvolve o raciocínio lógico e a habilidade motora das mãos, porém, se não houver moderação, pode comprometer as habilidades sociais como integração em grupo e exposição ao público, assim como ocorre com o computador. “A criança fica com raciocínio mais rápido e com as mãos mais ágeis, mas é preciso um meio termo para não fazer dele uma muleta e deixar as brincadeiras de rua e o exercício físico de lado”, explica à psicóloga.

amarelinha

  • Amarelinha, E quem não fica craque em equilíbrio pulando com um pé só? Brincar de amarelinha fortalece os músculos das pernas e confere noção de espaço, mas deve-se tomar cuidado para não forçar demais o movimento e jogar toda a carga em uma das pernas causando distensões ou fraturas: “O corpo se adapta as novas funções, mas tem seu limite, por isso, nada de extrapolar na dose”, diz Renato Romani.

Bom gente espero que vocês tenham gostado desse post, um grande beijo e até mais :*

Anúncios

Leitura para crianças!

Nós sempre vemos essas cenas em filme e ficamos apaixonados né, a verdade é que não tem idade certa para ler para uma criança isso vai da escolha e preferência do pai, tem pais que começam a ler logo que o bebê nasce já tem outros pais que começam a ler quando a criança entra em idade escolar, essa escolha vai da preferência de cada família.
O que é preciso saber é que precisa incentivar a leitura desde cedo é um ótimo estimulo para que essas crianças comecem a gostar dos livros, das histórias, além de ajudar a desenvolver a criatividade e imaginação dos pequenos.
Eu sempre amei leitura, então quando soube que estava grávida já sonhava com esse grande momento de ler para a minha pequena. Comecei a ler para a Laura quando ela tinha 06 meses, porém ela não prestava tanta atenção e adorava tentar pegar os livros da minha mão.
Deixei de lado por um tempo, mas quando ela estava com 1 ano e 6 meses mais ou menos voltei a tentar a incentivá-la com vários livros tanto os de princesa como os de aventura também, até que ela gostou do livro Chapeuzinho Vermelho. Sempre fui daquelas pessoas que quando Lê livros para crianças faz caras e bocas, imita os sons e até faz gestos.
Então quando lia para ela você pode até imaginar as cenas né (hahaha), mas o que eu mais adorava era a expressão de felicidade dela, os sorrisos, isso me dava mais e mais prazer para continuar a ler para ela. Até que chegou um dia em que ela mesma vinha com o livro na mão, se aninhava no meu colo, quase morro de amor!
Eu não estipulo um dia ou um horário para lermos, sempre deixo a vista e a Laura escolhe qual quer e quando. Acredito que assim fica mais gostoso para nós duas!

São coisas simples como ler que torna o dia mais agradável e divertido!

E você tem esse costume de ler para seu filho? Nós conte sua experiência.

Beijoos  Dani!